sábado, 31 de março de 2012

PENSAMENTO DE SÁBADO

Não se envaideça em nada com a sua sorte, nem como o seus predicados pessoais, porque tudo que lhe foi dado pode ser retirado

RECUPERADO DO CÂNCER LULA AJUDA DILMA MONTAR NOVO MINISTÉRIO


POLÍTICA
 Estadão.com.br
De volta à cena política, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva confidenciou a amigos estar disposto a ajudar a presidente Dilma Rousseff “no que ela precisar” para terminar a reforma ministerial e impedir o apoio de partidos aliados, como o PR e o PDT, ao candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra. “Eu não vou ficar de pijama”, disse Lula.
O ex-presidente estará em Brasília em 25 de abril, para ver a estreia do documentário Pela Primeira Vez, de Ricardo Stuckert, sobre a posse de Dilma. O PT já prepara um ato político para que Lula possa fazer um agradecimento público aos que torceram por sua saúde. Ele ficou cinco meses em tratamento contra um câncer na laringe.
“Disseram que a Dilma precisava de mim para tudo, mas passei cinco meses fora e as coisas aconteceram”, afirmou Lula, segundo o senador Walter Pinheiro (PT-BA). “Agora estou renascido e quero voltar a contribuir com o governo.”
Em visita ao Campo Limpo, zona sul de São Paulo, Haddad disse que não é a hora de Lula ou de a senadora Marta Suplicy entrarem na campanha e minimizou as críticas da ex-prefeita à pressão do PT. “Espero que não (que Lula não entre agora na campanha). O presidente Lula está se recuperando. Você quer colocá-lo 12 horas do meu lado na periferia de São Paulo? Discordo. Ele está num momento de recuperação”, afirmou.
Preocupado com a candidatura de Fernando Haddad, Lula deve aparecer ao lado do afilhado em 14 de abril, na inauguração de um Centro Educacional Unificado (CEU), em São Bernardo do Campo. Marta, ausente da campanha até agora, fará ali sua estreia ao lado do candidato.

EMPREITEIRO DIZ QUE PRESIDENTE DO DEM RECEBEU R$ 1 MILHÃO

POLÍTICA
O MP-RN (Ministério Público do Rio Grande do Norte) encaminhou à Procuradoria Geral da República um depoimento do empreiteiro potiguar José Gilmar de Carvalho Lopes, no qual ele afirma que o senador e presidente nacional do DEM, José Agripino Maia, teria recebido R$ 1 milhão em dinheiro “vivo” para a campanha de 2010 no Estado. O senador, que desde terça-feira é o líder do partido no Senado, nega veementemente a denúncia.
O depoimento do empresário --que é dono da construtora Montana, uma das maiores do Rio Grande do Norte-- foi dado em novembro de 2011, durante as investigações de um suposto esquema montado para manter o monopólio indevido nas inspeções ambientais veiculares no Estado, que poderia render R$ 1 bilhão aos acusados.
Ao todo, 36 pessoas foram denunciadas e 27 tiveram a denúncia aceita --entre elas o suplente de Agripino Maia-- e se tornaram réus no processo da operação Sinal Fechado. As fraudes teriam sido realizadas com a participação de políticos, ex-governadores e servidores do Detran-RN (Departamento de Trânsito do Rio Grande do Norte).
O depoimento vazou do processo, que corre em segredo de Justiça, e foi publicado por blogs e sites do Rio Grande do Norte nesta quinta-feira (29).
À reportagem do UOL, a assessoria de imprensa do MP-RN confirmou a veracidade do depoimento e que o documento foi remetido para a Procuradoria Geral da República, já que o senador tem foro privilegiado, para que decida se uma investigação será aberta ou não. Por sua vez, o MP-RN não soube informar como o documento foi parar na mão de jornalistas potiguares.
No depoimento, Gilmar afirmou que o repasse do R$ 1 milhão --que seria fruto do desvio de recursos públicos do Detran-RN-- teria sido feito pelo advogado George Olímpio, que foi preso e denunciado na operação Sinal Fechado. Além do declarante, uma advogada e dois promotores assinam o documento.

BIN LADEN VIVEU EM 5 CASAS E TEVE 4 FILHOS NO PAQUISTÃO


Osama bin Laden passou nove anos fugindo no Paquistão após os atentados de 11 de setembro de 2001 e durante esse período viveu em cinco casas protegidas, tornou-se pai de quatro filhos e pelo menos dois deles nasceram em hospitais públicos. Foi o que disse sua mulher mais jovem, Amal Ahmad Abdul Fateh, de 30 anos, à Justiça paquistanesa.

Em seu depoimento, ela disse ter concordado em se unir a Bin Laden, em 2000, pois "desejava se casar com um mujahedin". Ela foi de avião do Iêmen para Karachi em julho daquele ano e meses depois cruzou a fronteira do Afeganistão para se juntar a Bin Laden e a duas outras mulheres, em sua base em Kandahar.
Os atentados de 11 de Setembro destroçaram a família. Ela retornou a Karachi, onde permaneceu durante nove meses, com a filha recém-nascida. Depois, eles mudaram de casa sete vezes e os contratos de aluguel eram firmados por intermediários, "algumas famílias paquistanesas e o filho mais velho do líder da Al-Qaeda, Saad".
Amal Fateh disse que deixou Karachi no segundo semestre de 2002 e foi para Peshawar, capital da Província de Khyber Paktunkhwa, onde se juntou ao marido. Com a perseguição a Bin Laden por parte dos americanos mais intensa, o terrorista levou a família para uma região montanhosa na zona rural a noroeste do Paquistão e não para as áreas tribais, onde a atenção ocidental estava concentrada. Ali, residiram em duas casas diferentes durante cerca de nove meses.

sexta-feira, 30 de março de 2012

PENSAMENTO DA SEXTA-FEIRA

"Se você quiser transformar o mundo, experimente primeiro promover o seu aperfeiçoamento pessoal e realizar inovações no seu próprio interior." ( Dalai Lama)

ATÉ O DEM QUER O AFASTAMENTO SUMÁRIO DE DEMÓSTENES TORRES

POLÍTICA
Senador José Agripino Maia (DEM-RN) 
Maria Lima, O Globo
Líderes e dirigentes regionais do DEM, principalmente candidatos do partido nas eleições para prefeito, em outubro próximo, têm pressa e cobram um desfecho rápido para o caso do senador Demóstenes Torres (DEM-GO). A avaliação da cúpula do partido é que mesmo as candidaturas bem avaliadas nas capitais sofreram um duro golpe e podem ficar inviabilizadas se não for promovido um afastamento sumário do senador goiano.
No Senado, patina o pedido de abertura de processo disciplinar no Conselho de Ética, porque o presidente José Sarney (PMDB-AP) só marcou para o dia 10 de abril, depois da Páscoa, reunião para eleição do novo presidente do colegiado, acéfalo desde o ano passado.
A pressão maior vem dos deputados. Nesta quinta-feira pela manhã, o presidente e líder do DEM no Senado, José Agripino Maia (RN), teve um primeiro encontro com o líder da Câmara, ACM Neto (BA), e uma reunião da Executiva nacional chegou a ser marcada para terça-feira. Mas acabou desmarcada para dar tempo a Demóstenes de ler os autos do inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) e se defender.
Até à tarde desta quinta-feira, o advogado de Demóstenes, Antônio Carlos de Almeida Castro, dizia não ter tido acesso aos autos das investigações que levaram ao inquérito no STF.
Os candidatos do DEM, porém, consideram que o partido não pode esperar muito para tomar uma providência. Segundo os democratas, de norte a sul, está havendo uma “caça às bruxas”, e a simples menção do nome “democratas” provoca uma enxurrada de xingamentos.
- A leitura que se faz é muito ruim. Dizem: se até o Demóstenes, que era o Demóstenes, fez essa barbaridade, imagina o que não vão fazer os outros do DEM? Este caso nos desmoralizou - desabafou um candidato do partido. 

MILLÔR

Conversei com Millôr Fernandes uma única vez na vida, num restaurante do Rio de Janeiro, apresentado pelo querido amigo cineasta Silvio Tendler. Foi delicioso ouvi-lo e a sua irreverência genial por um bom tempo, que pareceu curto, quando acabou.

Fiquei triste com sua morte, partilhando o sentimento da nação, e, sem dúvida, fiquei surpreso ao ler que Millôr tinha idade. É que ele sempre me pareceu atemporal, jovem o tempo inteiro, antecipadamente imortal.
Algumas vezes, pensava nele e me pilhava constatando um ser acima dos calendários, dos meses, dos dias, das semanas. Intelectual de rara densidade, pensador, escritor de talento, tradutor, cartunista, frasista notável, eis o retrato de um sábio ocidental.
Suas passagens por expressivos jornais e revistas faziam do seu trabalho, obrigatoriamente, o começo da leitura. Mas tenho ternura especial pelo Millor do Pasquim, aquela trincheira de resistência à ditadura, montada por intelectuais conscientes do seu dever de lutar pelas liberdades.
Intelectual a favor da tirania aceita desmoralizar-se para justificá-la e fortalecê-la. Já o Pasquim era tocado por intelectuais que cumpriram papel inegável de agentes da transformação positiva.
Àquela época, a questão era estar a favor ou contra o regime que oprimia e despolitizava a sociedade. Hoje, felizmente, o Brasil virou plural, não precisa mais de gente ampla, passaram a ser possíveis as nuances, as discordâncias entre antigos aliados que o estado de exceção obrigava a ficarem juntos.
Millôr Fernandes pensava com genialidade e coragem o Brasil desde sempre, desde bem antes do movimento militar de março-abril de 1964. A coragem nunca foi e nunca será expletiva na vida pública.
A implantação do arbítrio, porém, mostrou o quão destemido era mesmo o grande pensador. A redemocratização veio e a ordem constitucional é testemunha das mil outras formas de coragem de quem jamais deixou de criar, criticar, inovar.
Um dado extraordinário da turma do Pasquim era a saudável mistura da preocupação política direta com o apoio a quem ousava desafiar costumes esclerosados e, portanto, pilares de um atraso que asfixiava e castrava talentos, alegrias, vocações.
Fugia do estereótipo de que os combatentes por liberdade, por definição, teriam de ser chatos, pretensiosa e falsamente teóricos e, em grande parte dos casos, incapazes da verdadeira ação. 


Sempre enxerguei Milôor como vanguarda dessa abertura, ele que jamais deixou de ser vanguarda em nenhuma quadra de sua existência. Sempre o pressenti andando à frente dos tempos.

Talvez por isso eu jamais tenha sido capaz de lhe precisar a idade. Bem explicável, aliás: ele simplesmente não tinha idade. Seu cérebro privilegiado, sua sensibilidade, suas emoções, tornavam irrelevante a certidão de nascimento.
Millôr Fernandes não morreu. Deu-se apenas a oficialização de sua imortalidade.

Arthur Virgílioex-senador pelo PSDB, é diplomata

quinta-feira, 29 de março de 2012

PENSAMENTO DA QUINTA-FEIRA

Só existem dois dias no ano que nada pode ser feito. Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver. Dalai Lama

A LÁGRIMA

A solidão magoa e contamina
a escuridão da noite a sua frente.
Não há mais tempo. A espera, simplesmente,
chega ao fnal, com o tempo que termina.

Amou demais. Amar foi a sua sina.
Foi entrega total e onipresente.
Doou-se e se doeu, pois, de repente,
do amor lhe falta a chama feminina

negando ao corpo abraços de acalanto,
fugindo aos beijos, quando o amor foi tanto,
legando ao sonho a dúvida abissal!

Como um vulcão que em gota expele o magma
aos meus olhos o pranto leva a lágrima
até chegar à boca, feito sal.

Ronaldo Cunha Lima é poeta, escritor e ex-governador da Paraíba

SUPREMO TRIBUNAL DE JUSTIÇA EXIGE BAFÔMETRO OU EXAME DE SANGUE PARA PROVAR EMBRIAGUEZ


O motorista parado em blitz da lei seca que se recusar a fazer o teste do bafômetro ou o exame de sangue não poderá ser acusado nem punido pelo crime de dirigir embriagado, mesmo que haja sinais evidentes de que está embriagado.
Por decisão da 3.ª Seção do Superior Tribunal de Justiça, só é possível processar criminalmente o motorista se houver comprovação de que ele dirigia tendo concentração de álcool no sangue superior a 0,6 grama por litro. E isso só poderia ser feito com os exames que estão previstos na lei - bafômetro ou exame de sangue.
Na prática, a decisão esvazia a lei seca, embora não cancele as penas administrativas (como suspensão da CNH), porque o motorista não é obrigado a produzir provas contra si e pode recusar-se a fazer os exames. 
A decisão do STJ deverá ser adotada por todos os tribunais do País, uma vez que o recurso julgado foi escolhido pelos ministros para pacificar a matéria e evitar decisões contraditórias pelos tribunais. Somente o Supremo Tribunal Federal (STF), quando julgar o assunto, poderá alterar esse entendimento.

quarta-feira, 28 de março de 2012

LULA AGRADECE A DEUS POR TER ERRADICADO CÂNCER

SEXO COM MENOR PODE NÃO SER ESTUPRO


Mariângela Gallucci, Estadão.com.br

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que nem sempre o ato sexual com menores de 14 anos poderá ser considerado estupro. A decisão livrou um homem da acusação de ter estuprado três meninas de 12 anos de idade e deve direcionar outras sentenças. Diante da informação de que as menores se prostituíam, antes de se relacionarem com o acusado, os ministros da 3.ª Seção do STJ concluíram que a presunção de violência no crime de estupro pode ser afastada diante de algumas circunstâncias.
Na época do ocorrido, a legislação estabelecia que se presumia a violência sempre que a garota envolvida na relação sexual fosse menor de 14 anos. Desde 2009, prevê-se que a idade de "consentimento" para atos sexuais continua a ser 14 anos, mas o crime para quem se envolve com alguém abaixo dessa idade passou a ser o de "estupro de vulnerável".
De acordo com dados da Justiça paulista, as supostas vítimas do estupro "já se dedicavam à prática de atividades sexuais desde longa data". A mãe de uma delas chegou a dizer que a filha faltava às aulas para ficar em uma praça com outras meninas para fazer programas em troca de dinheiro.
"A prova trazida aos autos demonstra, fartamente, que as vítimas, à época dos fatos, lamentavelmente, já estavam longe de serem inocentes, ingênuas, inconscientes e desinformadas a respeito do sexo. Embora imoral e reprovável a conduta praticada pelo réu, não restaram configurados os tipos penais pelos quais foi denunciado", decidiu o Tribunal de Justiça de São Paulo.

PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA PEDE ABERTURA DE INVESTIGAÇÃO CONTRA DEMÓSTENES TORRES

POLÍTICA
Parlamentares se reúnem com Roberto Gurgel, Procurador da República Foto: O Globo
A Procuradoria Geral da República (PGR) pediu na noite desta terça-feira a abertura de três investigações sobre o envolvimento de parlamentares com o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.
O primeiro inquérito será para investigar o senador Demóstenes Torres (DEM-GO), contra quem o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, considera haver mais indícios de crime do que outros dois parlamentares envolvidos com o contraventor: Carlos Leréia (PSDB-GO) e Sandes Júnior (PP-GO).
- Considerei os diálogos graves o suficiente para que pedisse abertura de inquérito - disse Gurgel, na noite desta terça-feira. - Os indícios são sempre relacionados ao personagem central daquelas investigações, que é conhecido com Carlinhos Cachoeira - disse Gurgel.
O segundo inquérito será contra os deputados Leréia e Júnior. Gurgel considera que seria melhor conduzir investigações separadas contra eles.
- Em relação a esses outros parlamentares, há menos elementos e por isso se pediu um desmembramento - afirmou o procurador-geral.
Uma terceira frente de apuração deve ser feita na Justiça de Goiás, contra Carlos Cachoeira e outros integrantes de seu grupo, que não têm foro privilegiado.A decisão sobre o desmembramento da investigação em três inquéritos dependerá da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). De acordo com a PRG, o pedido é para averiguar “possíveis condutas ilícitas de pessoas com foro privilegiado relacionadas a recentes investigações deflagradas no estado de Goiás. 

AGENDA DE DILMA 28-03-2012


Política

Horário local de Nova Délhi/Índia: mais 8h30 em relação a Brasília
14h30 - Cerimônia de outorga do título de Doutora "Honoris Causa" pela Universidade de Délhi
Vigyan Bhawan - Nova Délhi / Índia
16h30 - Encontro com o Presidente da África do Sul, Jacob Zuma
19h30 - Apresentação de música e danças típicas
Palácio Presidencial
20h10 - Jantar oficial em homenagem aos chefes de Estado do Brasil, da Rússia, da China e da África do Sul

terça-feira, 27 de março de 2012

SENADOR DEMÓSTENES TORRES RENUNCIA AO CARGO DE LÍDER DO DEM NO SENADO


Em carta para seu colega José Agripino Maia, também, senador e presidente do DEM, Demóstenes Torres renunciou ao cargo de líder do partido o Senado.

A carta tem três linhas. Nela Demóstenes anuncia que se dedicará daqui para frente a se defender das acusações que o ligam ao empresário Carlinhos Cachoeira.
A Polícia Federal gravou quase 300 telefonemas trocados entre Cachoeira e Demóstenes. E prendeu Cachoeira, acusando de explorar jogos ilegais em Goiás.
Em uma das ligações gravadas, Demóstenes pede a Cachoeira que pague R$ 3 mil por um jatinho que ele usou. Em outra, pede um jatinho emprestado.
O primeiro relatório da Polícia Federal sobre a parceiria Cachoeira-Demóstenes datade setembro de 2009. Foi entregue a Roberto Gurgel, Procurador Geral da República.
Cabia a Gurgel arquivar o relatório se o julgasse sem fundamentos ou pedir ao Supremo Tribunal Federal que investigasse Demóstenes. Não fez uma coisa nem outra.
A carta:
"A fim de que eu possa acompanhar a evolução dos fatos noticiados nos últimos dias, comunico a Vossa Excelência o meu afastamento da liderança do Democratas no Senado Federal".

PENSAMENTO DA TERÇA-FEIRA


"O homem não morre quando deixa de viver, mas sim quando deixa de amar." (Charles Chaplin)

CÂMARA PREPARA NOVA DERROTA AO GOVERNO


POLÍTICA
Marta Salomon, Estadão.com
Um acordo selado na comissão especial da Câmara que trata da compra de terras por estrangeiros é a próxima derrota anunciada do governo. Pelo acordo, deputados vão aprovar o fim de restrições a empresas brasileiras com maioria de capital estrangeiro, impostas por parecer da Advocacia-Geral da União (AGU) em agosto de 2010. A votação está marcada para esta quarta-feira, 28.
O parecer foi editado depois de uma década de falta de controle sobre a compra de terras por empresas estrangeiras - e consequentemente sobre negócios com imóveis rurais fechados por estrangeiros.
A avaliação da AGU fazia parte de um movimento maior deflagrado no final do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para impedir o avanço de estrangeiros sobre terras no País, motivado pela crise na produção de alimentos e a busca de lucros com a produção de etanol. Esse movimento foi contido, até aqui, por um forte lobby que une empresas do agronegócio e integrantes da Frente Parlamentar da Agropecuária.
São os ruralistas, mais uma vez, que ameaçam derrotar o governo Dilma Rousseff na Câmara, como aconteceu no projeto aprovado na semana passada para a criação de territórios indígenas, áreas quilombolas ou unidades de conservação.

PENSAMENTO DA TERÇA-FEIRA

"O homem não morre quando deixa de viver, mas sim quando deixa de amar." (Charles Chaplin)

segunda-feira, 26 de março de 2012

TODOS TEMOS DESAFIOS NA VIDA


Carlos Costa é escritor e jornalista
Todos nós temos desafios na vida; uns mais, outros menos. A vida que se nos apresenta como uma rosa tem espinhos; mas perfumes também.
 Cabe-nos saber superar  desafios e vencê-los; e vencê-los bem, pois é essa certeza que nos diferencia dos animais irracionais! É a essa racionalidade que mantém nossa capacidade de aceitar os espinhos e admirar a vida perfumada que nos é oferecida, depois.  Mesmo que os espinhos nos produzam dor  e nos ferirem de sangue, retire os espinhos e não desista porque, ao final, mesmo angustiado pelo peso do fardo, haverá a recompensa!
 Problemas em casa, quem não os tem? Um filho rebelde na adolescência, uma esposa incompreensiva mais amável na velhice, quem não os sonha tê-los? Serão nossa maior recompensa na vida,  por a termos aceitado tantos anos e retirado tantos espinhos durante a caminhada, em busca do perfume da rosa!
 Quem não viveu coisas que não desejávamos que tivessem acontecido? Mas é a vida e, sem esses percalços, ficará sem graça, monótona e desinteressante.  E só isso já  nos justificará vivê-la!
 Vivemos na certeza de uma incerteza constante, porque nunca teremos certeza de nada! Já vivi e tive certezas e convicções absolutas também; nem sempre corretas, mas as deixei pelos caminhos da vida. Com o avançar da idade, restou-me a certeza das dúvidas que a vida me deu sem que eu as pedisse. Mas a vida continua seu rumo, seu passo, sua estrada...
 Os espinhos que tiramos e os perfumes que sentimos pela estrada da vida é o que nos torna vivos e racionais. E é essa capacidade de sentir ávida com espinhos e perfumes é o que nos coloca para frente, na dor ou no amor, sentindo somente o perfume. Sentimos o ar que respiramos e temos certeza de estamos vivos... Porém, não me afastarei de convicções lógicas; embora, nem sempre muito racionais ou perfeitas! Com o tempo, tornei-me mais teimoso. Só isso!
 Enfrento meus defeitos e virtudes com muita fé em Deus! E isso já é o bastante!
 Caminhando lentamente, sigo em frente com destemor e consciência de que cumpri meus deveres terrenos. Se ainda não todos, trabalharei mais para cumpri-los até o fim porque muitos espinhos Deus ainda me  ofertará ao longo estrada da vida!
 Minha cruz não está pesada! Está muito leve diante da cruz carregada por Cristo para nos livrar dos pecados. Se tiverem momentos em que ainda me desespere, procurarei me acalmar, respirarei fundo porque sei que existem pessoas que não tiveram e nem terão o privilégio e a alegria de viver a vida que ainda tenho para vivê-la!
 Só em ter essa certeza única, sinto-me feliz porque Deus quis que vivesse assim!

MINISTRO DAS CIDADES PAGOU HOSPITAL COM DINHEIRO PÚBLICO E IMPLANTOU INTERNET QUE ATÉ HOJE NÃO FUNCIONA

O Globo
Uma auditoria do Tribunal de Contas da Paraíba constatou que o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, recebeu junto com o pai e uma irmã, em 2008 e 2009, quando era deputado estadual (PP), quase R$ 137 mil da Assembleia Legislativa da Paraíba, usados para tratamento no Hospital Sírio-Libanês, revelou ontem reportagem do “Fantástico”.
Segundo conclusão do órgão de fiscalização, por não fazer parte do contingente de pessoas carentes do Estado, o hoje ministro não precisaria ter recebido recursos públicos para custear tratamento médico. Aguinaldo Ribeiro não se pronunciou sobre o caso.
Na mesma reportagem, o “Fantástico” mostrou um suposto esquema de cobrança de propina e indícios de superfaturamento na licitação de um programa que transformaria João Pessoa na primeira capital digital do país, monitorada por câmeras e com acesso gratuito a internet para todos os moradores.
O projeto Jampa Digital foi inaugurado por Aguinaldo Ribeiro em março de 2010, que, à época, era secretário de Ciência e Tecnologia de João Pessoa. O projeto prometia acesso gratuito a internet em 20 pontos da cidade, mas, até hoje, não funciona. 

DSSIDENTES CUBANOS SÃO PROIBIDOS DE ASSISTIR À MISSA DO PAPA


O Globo
Na véspera da chegada do Papa Bento XVI (foto acima) a Cuba, hoje, dissidentes denunciaram que estão sendo impedidos de se dirigir a Santiago de Cuba, onde ele rezará uma missa.
A denúncia ocorre no rastro de fortes expectativas em torno de possíveis pronunciamentos do Pontífice sobre direitos humanos na ilha, além de uma nova controvérsia deflagrada por rumores de que ele poderá se encontrar com o presidente venezuelano, Hugo Chávez, sem que o Vaticano tenha ainda se pronunciado sobre o pedido do grupo Damas de Branco para uma audiência.
Até agora é certo apenas o encontro de Bento XVI com o presidente Raúl Castro, mas se especula que o Pontífice poderá encontra-se também com o ex-presidente Fidel Castro.
O alerta sobre as medidas tomadas pelo governo para evitar a chegada de dissidentes a Santiago de Cuba foi feito pela blogueira Yoani Sánchez. Em seu perfil, ela disse que um jornalista, dois ativistas e várias integrantes do Damas de Branco foram presos para evitar que vissem o Papa na cidade do oeste da ilha.
"Está acontecendo uma ‘limpeza ideológica’ para impedir que ativistas e dissidentes assistam às missas" do Papa em Cuba, escreveu Yoani. Ela advertiu também que o acesso à internet está sendo cancelado em vários lugares, devido à visita papal. "Já está escrito o roteiro oficial da visita do Papa a Cuba e o pior é que pretende deixar de fora as vozes críticas", disse ela. 

PROFESSORES CULPAM PAIS E ALUNOS POR NOTA BAIXA



sandra Duarte e Letícia Lins, O Globo
O aluno não aprende porque os pais não o acompanham? Para 88% dos professores do nível fundamental da rede pública no país, sim. Quase 81% também acreditam que um aluno não vai bem na escola porque não se esforça.
Os dados fazem parte de um levantamento feito pelo Movimento Todos Pela Educação em respostas dadas por professores da rede pública na Prova Brasil, do Inep.
E levantam a questão: num sistema educacional público com má remuneração para o magistério e escolas mal equipadas, que recebem estudantes em que a própria família já tem, em geral, baixa escolaridade e frágil nível cultural, de quem é a culpa pelo mau aluno?
No Questionário do Professor da Prova Brasil de 2009, os professores receberam uma lista de possíveis causas para problemas de aprendizagem dos estudantes, para dizer com quais causas mais concordavam. Quase todos concordaram com as respostas
"Falta de assistência e acompanhamento da família nos deveres de casa e pesquisas do aluno" e "Desinteresse e falta de esforço do aluno".
Respostas que poderiam mostrar a responsabilidade do professor ou da escola — "Baixo salário dos professores, que gera insatisfação e desestímulo para a atividade docente" e "Escola oferece poucas oportunidades de desenvolvimento do aluno" — tiveram 30,5% e 27,4%, respectivamente. 

domingo, 25 de março de 2012

PENSAMENTO DO DOMINGO

Enquanto ex e atuais senadores têm direito à saúde gratuita até o fim da vida, extensiva a seus dependentes, o povo brasileiro morre à míngua  nos hospitais públicos (Marcelino Ribeiro)

SAÚDE SEM LIMITES PARA EX E SENADORES ATUAIS





Centro Médico do Senado Federal 
Chico de Gois, O Globo
O Senado é pródigo em benefícios a seus parlamentares. Além da verba indenizatória de R$ 15 mil e do direito de contratar até 72 servidores, os senadores e seus dependentes têm direito a assistência médica pelo resto da vida.
Levantamento feito pelo GLOBO mostra que reembolsos particulares chegam a ultrapassar R$ 100 mil por ano e que ex-senadores, mesmo aqueles com privilegiada situação financeira ou no exercício de outros cargos, continuam recorrendo ao Senado para ter suas despesas médicas reembolsadas.
De 2007, a última legislatura, até agora, foram gastos R$ 17,9 milhões com ressarcimentos por despesas médicas com senadores no exercício do mandato. Com os ex-parlamentares, a conta chegou a R$ 7,2 milhões. E o detalhe é que ninguém precisa pagar nada pelo benefício.
Os parlamentares no exercício do mandato não têm um teto para o gasto, bastando apenas apresentar notas, caso optem por médicos e clínicas não conveniadas. Para aqueles que não têm mais cargo, mas permaneceram pelo menos 180 dias corridos como senador — caso dos suplentes — o teto anual é de R$ 32.958,12. Mas o valor nem sempre é respeitado.
Ainda há vários casos de deputados e prefeitos que, depois de assumirem essas funções públicas, continuaram apresentando a fatura ao Senado. É o caso do ex-prefeito de Porto Alegre José Fogaça. Ele foi senador entre 1995 e 2002 e esteve à frente da prefeitura entre 2005 e 2010. Nesse período, porém, pediu ressarcimentos. Apresentou notas que somam R$ 12.976 e recebeu as restituições. O GLOBO telefonou para a casa dele, mas sua filha informou que ele não estava.
O limite de R$ 32.958,12 é um parâmetro que não é levado a sério pelo Senado. O ex-senador Moisés Abrão Neto (PDC-TO) foi reembolsado em 2008 em R$ 109.267 por despesas médicas — o triplo permitido. Divaldo Suruagy (PMDB-AL), que exerceu o mandato entre 1987 e 1994, recebeu, em 2007, R$ 41.500 por despesas odontológicas.
A esse mesmo tipo de tratamento submeteu-se a esposa do ex-senador Levy Dias (DEM-MS). Ela gastou, de uma só vez, em 2008, R$ 67 mil com tratamento dentário. A assessoria de imprensa do Senado informou que a Mesa Diretora é responsável por autorizar gastos acima dos fixados quando acha necessário.

IGREJA CATÓLICA TENTA GANHAR ESPAÇO EM CUBA


Religiosos já se preparam para o regime pós-irmãos Castro
Janaina Lage, O Globo
O regime que até a década de 1990 se declarava ateu e que já expulsou religiosos se prepara com empenho quase fervoroso para receber a visita do Papa Bento XVI a Cuba.
Com uma página especial na internet sobre a viagem do Pontífice, editoriais no "Granma", e a concessão de folgas para que funcionários públicos acompanhem os eventos com a presença de Joseph Ratzinger, o governo quer deixar clara a mensagem de um país em transição, onde a Igreja Católica e seu maior representante são bem-vindos.
A preocupação com o potencial uso político da visita do Papa, que marca os 400 anos da descoberta da imagem da Virgem da Caridade do Cobre, padroeira de Cuba, é grande. O número dois do Vaticano, cardeal Tarcísio Bertone, afirmou que a passagem do Pontífice ajudará a promover a democracia na ilha e disse não acreditar que a visita será explorada pelo governO
O regime que até a década de 1990 se declarava ateu e que já expulsou religiosos se prepara com empenho quase fervoroso para receber a visita do Papa Bento XVI a Cuba.
Com uma página especial na internet sobre a viagem do Pontífice, editoriais no "Granma", e a concessão de folgas para que funcionários públicos acompanhem os eventos com a presença de Joseph Ratzinger, o governo quer deixar clara a mensagem de um país em transição, onde a Igreja Católica e seu maior representante são bem-vindos.
A preocupação com o potencial uso político da visita do Papa, que marca os 400 anos da descoberta da imagem da Virgem da Caridade do Cobre, padroeira de Cuba, é grande. O número dois do Vaticano, cardeal Tarcísio Bertone, afirmou que a passagem do Pontífice ajudará a promover a democracia na ilha e disse não acreditar que a visita será explorada pelo governo.

sábado, 24 de março de 2012

PENSAMENTO DO SÁBADO


Geralmente as criaturas escolhem a quem seguir, pela aparência do corpo físico, beleza, elegância, pelas maneiras e atitudes, pelo modo de vestir e de falar. Os mestres, porém, de modo geral, a ninguém escolhem, mas aguardam os que realmente os buscam

AMOR CONTIDO

Amas a minha ausência mais que a mim
Na covardia mor do teu capricho.
Mas se achas no começo do teu fim,
Logo a mim, que te amei desde o início.

Num confuso e eterno deixa-disso,
Teu amor se retrai, quanto mais queres
Menos a mim, e mais meu compromisso
E sabes tu, que ganhas, quando deres...

No desencontro desse amor contido,
Amargas solidão quando derramas
A dor que doi em mim, que não consigo

Compreender tamanha sutileza
De alcançar na forma que em amas
Sentimento de tão grande nobreza.


Genézio Mendes é poeta paraibano, de Serraria, autor do Amor em três Tempos e residente no eixo- João Pessoa-Recife, disseminando a cultura em verso e prosa

PAPA CHEGA AO MÉXICO E PROMETE CRITICAR VIOLÊNCIA CRESCENTE NO PAÍS


"‘Vou rezar por quem sofre de todas as formas de violência", disse, em espanhol

O Papa Bento XVI iniciou sua visita de três dias ao México atacando diretamente a violência — como havia adiantado que faria, ainda no avião papal. O avião que trazia o pontífice aterrisou pouco depois das 19h30 (horário de Brasília) em León, no México — o país abriga a segunda maior população católica do mundo.
— Eu vou rezar especialmente para aqueles que estão necessitados, particularmente por aqueles que sofrem por causa de novas e velhas rivalidades, ressentimentos e todas as formas de violência — disse, em espanhol, em seu primeiro discurso em solo mexicano.
O presidente Felipe Calderón, que tenta a reeleição em julho e sofre desgaste por não conseguir conter a escalada da violência, espera encontrar algum conforto nos discursos de Bento XVI.
— O México tem sofrido, como a Sua Santidade sabe bem, a cruel violência do crime organizado — disse o presidente em seu discurso de boas vindas.

sexta-feira, 23 de março de 2012

CHARGE DO AMARILDO


HUMOR

QUASE TUDO MUDOU, MAS NEM TUDO

Carlos Costa é jornalista escritor
Quase tudo mudou...quase tudo. Mas nem tudo! Mudaram os valores da sociedade, a ética, a falta de moral de alguns políticos, a corrupção em hospitais, desvios de verbas em várias áreas, mas as leis não mudaram para acompanhar essas mudanças sociais que ocorrem rápido demais e punir os criminosos, modernizando e agilizando a Justiça porque poucos legisladores se aperceberam disso!Mudaram a moda, – que saudades dos vestidinhos “tubinho” que modelavam gostosamente os corpos das mulheres -. Os gostos, costumes, tecnologias de ponta também mudaram. Só não mudou o desrespeito aos deficientes, às grávidas, aos cadeirantes e idosos que vêm constantemente seus espaços em estacionamentos privados ou públicos serem ocupados por outras pessoas, em uma total falta de respeito! Não sabem essas pessoas é que um dia, todos serão iguais aos que hoje eles desrespeitam, mas todos, no futuro, entenderão sobre o que estou escrevendo agora!Mudaram os preços, moedas, presidentes – graças a Deus os militares deixaram o poder. Ministros e o comando do Brasil também mudaram. Só não mudaram a Lei de Licitações Públicas, o Código Penal (aliás, mudou sim; mas só para beneficiar presos), a Justiça que continua cada vez mais lenta, cheia de intermináveis recursos protelatórios, a cidadania que continua a eleger políticos de ocasião que prometem tudo, mas não fazem nada, as administrações municipais corruptas, as calçadas rebaixadas serem livres como pássaros livres, os cadeirantes! Ah, isso não mudou para melhor; só para pior!
Mudaram a “ética” das empresas privadas, o conluio para fraudes ficou mais sofisticado, as corrupções com desvios de recursos de saúde, segurança, Previdência se tornaram mais explicitas. Até diplomas falsos já são comercializados no meio da rua e tudo ficou mais “perfeito”. Mudaram também os valores das propinas ofertadas aos administradores públicos, mas o ECA não mudou e continua protegendo “adolescentes” que matam mais de uma vez para sustentar vícios,  estupram várias  vezes e, no máximo, recebem penas leves, ganham liberdade e ainda continuam sem culpa!O que não mudou mesmo foi o hábito dos motoristas de beber, dirigir, matar, entrar e sair pela porta da frente das Delegacias porque “não houve a intenção de matar”.  O morto, coitado, era quem estava na hora errada e no local errado!Mudaram os princípios, os valores da sociedade. Novos Estatutos foram implantados, dividindo a sociedade antes una, entre negros, brancos, índios e quilombos, dando direitos a cada uma dessas parcelas. Mas não mudaram a intolerância religiosa, raça, opção sexual, todas formadas pela estupidez, ignorância e idiotice de muitos! 
Depois da reforma protestante de Martin Lutero, movimento cristão ocorrido no século XVI, em 1517, mudou a crença religiosa e novas  igrejas foram fundadas; mas Deus continuou sendo um só e isso não mudará nunca! O resto tudo poderá mudar, inclusive o Estatuto da Criança e ao Adolescente, para o mesmo tipo de crime várias vezes. Também não mudou o tratamento para os “drogaditos”! Mas o que não mudou só depende da sociedade se mobilizar e mudará!

PENSAMENTO DA SEXTA-FEIRA

O ato sexual mexe com os todos os sentidos, além de engajar também os circuitos emocionais do cérebro

JUIZ APOSENTADO NÃO TEM DIREITO A FORO ESPECIAL


Carolina Brígido, O Globo
O Supremo Tribunal Federal (STF) declarou nesta quinta-feira que juízes aposentados não têm direito a julgamento em foro especial. Mesmo sendo a magistratura vitalícia, segundo a Constituição Federal, o benefício não dura a vida inteira.
A decisão foi tomada no julgamento de dois recursos de desembargadores que, apesar de não estarem mais na ativa, queriam continuar respondendo a processos judiciais em foro privilegiado. A decisão foi tomada apenas nos dois casos, mas servirá de parâmetro para definir outras situações semelhantes.
Uma delas é a ação penal que investiga a participação de integrantes do Judiciário no esquema de venda de sentenças a integrantes do jogo do bicho. O caso veio à tona na chamada Operação Hurricane, da Polícia Federal. A parte do STF na investigação está paralisada por falta de definição do foro que julgará os cinco réus.
Dois réus – o desembargador José Eduardo Carreira Alvim, do Tribunal Regional Federal (TRF) da 2ª Região, e o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Paulo Medina – foram aposentados compulsoriamente pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).
O relator do processo, ministro Gilmar Mendes, determinou a transferência do processo para a primeira instância, porque não sobraria mais ninguém com direito ao foro especial que justificasse a manutenção do caso no STF. 

quinta-feira, 22 de março de 2012

ENGODO


POLÍTICA
Tem muita gente, inclusive na boa imprensa, engolindo a história de que a Presidente Dilma Rousseff tem sido “obrigada” a lidar com sua “base” fisiológica de apoio parlamentar, em termos que não lhe agradariam.
Como se, Chefe da Casa Civil do governo Lula, não tivesse participado essencialmente da montagem do monstrengo ingovernável que aí está. Como se não se tivesse beneficiado eleitoralmente das forças que finge repudiar. Como se, ao fim e ao cabo, estivesse mesmo disposta a mudar substantivamente alguma coisa.
Vamos aos fatos. Foi obrigada pela imprensa a demitir oito Ministros acusados de gravíssimas irregularidades. Fez tudo para mantê-los (Fernando Pimentel é zumbi que ela insiste em conservar na Esplanada, apesar de suas “consultorias” serem, em tudo e por tudo, semelhantes às de Antonio Palocci) e só os dispensou quando a situação de cada um deles estava insustentável.
Mais ainda: elogiou-os na saída e entregou aos seus partidos a prerrogativa de indicar os substitutos. Investigação dos “mal feitos”? Nenhuma. Dilma, aliás, sutilmente, passou a chamar corrupção de “mal feito”, assim como Lula cunhou a expressão “aloprados”, para os criminosos que forjaram o dossiê contra José Serra.
A matriz sendo a mesma, os métodos são idênticos.
O loteamento da máquina pública não foi desfeito. Os “donatários” das benesses oficiais são os de sempre. Nenhuma mudança de fundo aconteceu.
Dilma é refém do esquema de sustentação política que Lula montou para elegê-la e para construir uma suposta governabilidade segura. Pois esse esquema apodreceu. Cheira mal. Não tem cura.
Tentou negar o Ministério do Trabalho ao PDT, após as estripulias de Carlos Lupi, mas vai ceder. Esse partido voltará ao controle pleno da suserania.
Tem uma pendência de forma com o PR, que controla o essencial do Ministério dos Transportes, e estou ansioso por ver como se desfiará o novelo.
Aposto todas as fichas em que não terá coragem de enfrentar José Sarney e Renan Calheiros, mais Michel Temer e a esmagadora maioria do PMDB. Recuará. Buscará a forma mais sutil de fazê-lo, porém recuará.
Enquanto isso, posa de “inconformada” com a “chantagem” e com a fisiologia. Até Lula supostamente a estaria apoiando nessa cruzada, logo ele, autor intelectual e físico da monstruosidade que não quer voltar para a jaula.
A Presidente terá de aprovar projetos relevantes para o desdobramento de sua gestão. Conseguirá isso com votos de quais congressistas? Ora, com os “aliados” que sua propaganda estigmatiza, mas que jamais deixarão de ser acarinhados com cargos rentáveis, no mínimo, eleitoralmente.
O governo está perdido, desorientado. As obras são obstaculizadas pela inapetência administrativa ou pela vigilância do TCU. A Copa está na marca do pênalti. A economia aponta crescimento medíocre contra inflação alta. A articulação política praticamente inexiste. Tem contenciosos delicados até no PT.
Prevejo tempos difíceis. Semearam vento. Colherão tempestades.

Arthur Virgílio é diplomata e foi líder do PSDB no Senado