domingo, 31 de março de 2013

GOVERNADORES CONTROLAM MÁQUINA DE 105 MIL CARGOS SEM CONCURSO PÚBLICO

Daniel Bramatti e José Roberto de Toledo,
A primeira pesquisa completa sobre a estrutura burocrática dos Estados, realizada pelo IBGE, revela que os 27 governadores empregavam em 2012, em conjunto, um contingente cerca de 105 mil funcionários que não fizeram concurso para entrar na administração pública. Se todas essas pessoas se reunissem, nenhum dos estádios da Copa de 2014 - nem mesmo o Maracanã - teria capacidade para acomodá-las.
Apenas na chamada administração direta, da qual estão excluídas as vagas comissionadas das empresas estatais, o número de funcionários subordinados aos gabinetes dos governadores ou às secretarias de Estado sem concurso público chega a 74.740, o suficiente para ocupar 98% do maior estádio do Brasil.

sábado, 30 de março de 2013

BULLYING

O bullyng é uma vergonha
é pura contradição
é a derrota da escola
da universidade e da Nação
diante da prepotência 
do covarde "valentão."

O professor é responsável
o coordenador também
os pais e os alunos
todo mundo e mais alguém
no combate contra o bullying
não se isenta seu ninguém.

Por isso é preciso haver
grande mobilização
não se fazer vista grossa
a essa situação
enfraquecendo o valor 
da real educação.

O MORDE E ASSOPRA DAS DESPESAS COM A CÂMARA DOS DEPUTADOS

Robson Bonin, VEJA
Com 42 anos de mandato, o deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) assumiu a presidência da Câmara, em fevereiro, prometendo um choque de gestão na Casa, cujo orçamento é de 4 bilhões de reais só neste ano.
Esse plano começou a ser posto em prática quando a Câmara aprovou o projeto que limita o pagamento do 14º e 15º salários aos parlamentares, reduzindo em 25 milhões de reais o custo anual de uma mamata existente há 67 anos.
Na semana passada, no entanto, Alves deixou claro que seu ímpeto moralizante não passara de uma jogada de marketing, posta de lado para que ele pudesse honrar parte dos acordos que lhe garantiram a vitória na disputa pelo comando da Câmara. Em vez de brindar a opinião pública, como anunciara, Alves decidiu reverenciar o baixo clero e o espírito de corpo reinante no Congresso, justamente como fizeram seus antecessores.


 Sob o comando do novo presidente, a mesa diretora aprovou, numa só tacada, três bondades para as excelências. Uma delas, o reajuste da famosa verba de gabinete. Trata-se daquela remuneração usada pelos deputados para pagar despesas com alimentação, telefone, aluguel de carros, combustível, passagem aérea e até assinatura de jornais e revistas — tudo sem ter de mexer num único tostão do salário de 26.700 reais.
O valor máximo do cotão, como é chamada a mordomia, passará de 34.000 reais para 38.600 reais por mês. Detalhe: o reembolso desses gastos é feito tão logo o deputado apresente a nota fiscal. Não há uma checagem para saber se a despesa foi de fato realizada. Não à toa, o cotão é considerado pelos próprios parlamentares, à boca miúda, uma espécie de salário indireto.

EUA VAI EXAMINAR EFEITOS DE SINAL EM CELULAR SOBRE A SAÚDE

Autoridades reguladoras dos EUA estão examinando como as frequências de rádio emitidas por celulares e outros equipamentos sem fio afetam as pessoas, em meio a persistentes preocupações sobre os riscos dessas radiações.
A Comissão Federal de Comunicações (FCC) disse na sexta-feira que está solicitando pareceres de outras agências e especialistas em saúde a respeito da necessidade de atualizar seus padrões sobre a exposição aos campos eletromagnéticos dos telefones, já que eles se aplicam particularmente a crianças.

COREIA DO NORTE DECLARA GUERRA A COREIA DO SUL

O Globo
No mesmo dia em que o presidente Kim Jong-un anunciou o início dos preparativos para atacar com mísseis bases militares americanas na Coreia do Sul e no Pacífico, a Coreia do Norte declarou oficialmente que está em “estado de guerra” com o país, de acordo com a agência oficial de notícias KCNA.
O governo norte-coreano afirma que suas ameaças são uma resposta às “provocações inconsequentes” dos Estados Unidos, que fazem com o vizinho do sul um dos maiores exercícios militares do planeta durante março e abril. Tecnicamente, as duas Coreias estão em estado de guerra desde 1953, quando um conflito terminou com um armistício e não com um tratado de paz.


sexta-feira, 29 de março de 2013

TENHO TODO O TEMPO DO MUNDO E NÃO VIVO!


Carlos Costa é jornalista
 Agora, que tenho todo o tempo do mundo não tenho tempo para viver como gostaria.
 Não consigo mais caminhar pelas ruas centrais de Manaus, de mãos dadas com minha esposa Yara porque, mesmo ainda só com 53 anos, perdi o equilíbrio e não conseguiria ficar disputado espaço com barracas de camelôs no meio da rua – autorizadas ou não, obrigando a me desviar de lixo ou  sentindo o cheiro podre de urina. Hoje, vivo apenas das lembranças de uma cidade que já fora  chamada de “sorriso”, pelos locutores da Rádio Difusora, principalmente pelo seu dono, Josué Cláudio de Souza Filho.
 Também não consigo caminhar como gostaria porque as ruas e as calçadas são sempre irregulares, os carros estacionam nos locais demarcados para usuários de cadeiras de rodas, que sofrem muito para receberem esse sagrado direito de ser livres e não prisioneiros de suas lembranças de quando podiam caminhar livres leves e soltos. Embora saiba que alguns já nasceram assim, usando cadeiras de rodas, vítimas que foram do remédio talidomida, muito usado como prescrição “milagrosa” pelos médicos mais antigos, que prejudicando mães na gravidez ou de terem nascido com outras doenças, como a pólio, por exemplo, que também lhes tirou movimentos em passos calmos, lentos, quase preguiçosos pelas ruas, como eu também fazia, observando tudo.
 Agora que tenho tempo de sobra pouco frequento as feiras do peixe ou da banana, na orla de minha antiga cidade sorriso,  que hoje se apresenta com dentes podres na boca alva e perfeita porque falta de estacionamentos privativos para cumprimento das Resoluções 303 e 304 do Conselho Nacional de Trânsito e também porque tenho pouca paciência para ficar procurando vagas em locais que deveriam existir por direito. Não, por favor! Recuso-me a esse constrangimento! Não desejo disputar espaços com taxistas, táxi cargas, táxis fretes, moto-táxi porque deveriam existir, também vagas sinalizadas, demarcadas e exclusivas para cadeirantes, portadores de necessidades especiais, idosos etc.
 Agora, que tenho todo o tempo do mundo, sinto-me prisioneiro  dentro de meu próprio apartamento e, da  varanda onde escrevo agora, olhando para uma grande piscina com águas azuis, flores amarelas, ouço canto de pássaros despejados pela força do “progresso” que só vê $ à sua frente e que nem olha para o futuro!
 Agora, que tenho todo o tempo para fazer o que também gostava, fiquei proibido de dirigir pelos médicos que mantêm minha vida. Hoje, Manaus, uma cidade com quase dois milhões de carros e me dá melancolia ao lembrar que se andava sossegado pelas ruas sem asfalto, saneamento, muitas sem luz, mas era feliz, com a Central de Polícia funcionando no centro da cidade em um casarão antigo e o “senhor Jóia”, que atendia aos repórteres com tanta educação!  Essa cidade antiga de minha lembrança dolorida quase não existe mais, como também não existiam tantos vendedores ambulantes com barracas padronizadas e com lonas vermelhas, ainda, sem ambulantes – eu fui um deles, mas ficava sossegadinho em meu canto e recolhia meu próprio lixo produzido.
 Agora que tenho todo o tempo do mundo para tudo, consigo ver raras araras voando livres na natureza, periquitos voando soltos, poucos pássaros...Vivo em uma cidade desmatada, careca e quente. Não frequento livrarias; não tenho dinheiro para adquirir os objetos comercializados: livros, fonte de meu prazer desde os 14 anos de idade. Enfim, me transformei em prisioneiro das lembranças em uma cidade destroçada pelos concretos, prédios, ganância, com ruas invadidas por ambulantes que produzem mau cheiro de suor e urina e lixo e, pior, ainda vendem produtos contrabandeados  e sem nota fiscal e sem recolher impostos!

PENSAMENTO DA SEXTA-FEIRA

A democracia não pode ser dependente de um ou dois nomes

Do governador da Bahia, Jaques Wagner PT), ao  reforçou a sua posição sobre a eventual candidatura do chefe do Executivo pernambucano, Eduardo Campos (PSB), à Presidência em 2014

PELA 1ª VEZ PAPA INCLUI MULHERES NA CELEBRAÇÃO DA 5ª FEIRA SANTA

O Globo
Duas moças estavam entre as 12 pessoas que tiveram os pés lavados e beijados pelo papa Francisco numa tradicional cerimônia da Quinta-Feira Santa, realizada num centro de detenção de menores infratores nos arredores de Roma. É a primeira vez que um papa inclui mulheres no rito.
A Missa de Lava-Pés evoca um gesto de humildade de Jesus com seus apóstolos na véspera da crucificação. Um porta-voz do Vaticano disse ainda que das 12 pessoas que tiveram os pés lavados, 2 eram internos muçulmanos do centro de detenção, chamado Casal del Marmo.


quinta-feira, 28 de março de 2013

COM A POPULARIDADE EM ALTA DILMA DESCARTA PR DE ALFREDO

Lauro Jardim
Esticando a corda
Se a vida já estava difícil para o PR, depois da divulgação das últimas pesquisas sobre a popularidade de Dilma Rousseff, o jogo deverá ficar ainda mais duro para Alfredo Nascimento e companhia reconquistarem espaço na Esplanada.
A cúpula do partido voltará a se reunir com Dilma na semana que vem para tratar da novela que virou a negociação de um nome, que agrade aos comandantes da sigla e, claro, ao governo. Cesar Borges é a bola da vez.
Se o PR voltar a torcer o nariz, a tendência é que acabe sem uma cadeira na segunda etapa da reforma ministerial. E tem mais, só Nascimento e seus amigos acham que o Ministério de Transporte está sendo guardado para eles.

PASSAGEIRO COM MALA PERDIDA TERÁ DIREITO A R$ 300 NA HORA

Nataly Costa
A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) mudou as regras de transporte de bagagens em voos nacionais e para fora do País. Agora, as empresas serão obrigadas a pagar R$ 300 na hora para o passageiro que tiver sua bagagem extraviada e estiver fora da sua cidade. Além disso, o prazo para encontrar a mala caiu de 30 para sete dias - e, no caso de perda, a indenização terá de sair em 14 dias, e não mais em um mês.
Além disso, o limite de bagagem para voos entre o Brasil e a América do Sul e América Central será de 23 kg - hoje, é de 20 kg. Também ficou padronizado o limite de duas peças de 32 kg para os demais voos internacionais. Ou seja, permanece a franquia de bagagem dos voos para os Estados Unidos e principais destinos da Europa. Segundo a Anac, 106 países adotavam a franquia, mas outros 148 outros destinos, não. Voos domésticos comerciais continuam com a franquia de 23 quilos.


CNJ ELEVA GASTOS E REPRODUZ VÍCIOS DOS TRBUNAIS

Felipe Recondo, Estadão
Criado para combater vícios da magistratura e melhorar a gestão do Judiciário, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) começa a reproduzir os mesmos problemas dos tribunais brasileiros. São processos que andam a passos lentos, pressões políticas, inchaço da máquina, aumento de gastos com passagens aéreas, contas de telefone e diárias, além de pequenos, mas simbólicos, malfeitos, como o uso de carro oficial por ex-conselheiros.
Dados pedidos pelo Estado com base na Lei de Acesso à Informação mostram, por exemplo, aumentos progressivos nos gastos com diárias, passagens, auxílio-moradia e ajuda de custo, como pagamento de despesas de mudança. Com pagamentos de mudanças de servidores ou juízes convocados para trabalhar em Brasília, o CNJ gastou mais de R$ 1 milhão em 2012.

Joaquim Barbosa, presidente do STF e do CNJ

DILMA ACUSA IMPRENSA DE MANIPULAR SUA FALA

VEJA ONLINE
Que o governo tem optado por estimular o crescimento da economia em detrimento do controle da inflação, não é novidade. Nesta quarta-feira, no entanto, foi a primeira vez que a presidente Dilma Rousseff deixou escapar sua heterodoxa preferência pelo Produto Interno Bruto (PIB), durante conversa com jornalistas em Durban, na África do Sul, onde esteve para o encontro dos Brics.
Dilma afirmou que não concorda com políticas de combate à inflação que mirem a redução do crescimento econômico. A fala repercutiu como pólvora - o que fez o blog do Planalto divulgar uma nota feita pela presidente desmentindo sua frase. "Foi uma manipulação inadmissível de minha fala. O combate à inflação é um valor em si mesmo e permanente do meu governo", afirmou a presidente.
Dilma também pediu que o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, conversasse com jornalistas para desfazer o "mal entendido". À Agência Estado, Tombini afirmou que era preciso que o "mal entendido fosse desfeito e que não há tolerância em relação à inflação". Ele até usou o expediente da insubordinação para consertar a frase de Dilma. "De inflação fala a equipe econômica. Em relação à política de juros, fala o Banco Central", disse.
De acordo com a nota, Dilma decidiu se pronunciar após "tomar conhecimento de que agentes do mercado financeiro estavam interpretando erroneamente seus comentários como expressão de leniência em relação à inflação". As declarações da presidente reduziram as apostas de elevação da Selic, a taxa básica de juros da economia. As taxas futuras, que já caíam desde a abertura do mercado, acentuaram o movimento imediatamente após as palavras da presidente.
Com as declarações de Dilma, os analistas entenderam que o governo acredita que a inflação no Brasil seja algo temporário e que o Banco Central poderá adiar o início do aperto monetário. As palavras de Dilma, na véspera da divulgação do Relatório Trimestral de Inflação, também foram criticadas por alguns agentes, porque atrapalharia o esforço do presidente do BC, Alexandre Tombini, em ancorar as expectativas do mercado.

EXPERIÊNCIA PÓS-MORTE: TAMBÉM VIVI A MINHA!

Carlos Costa é jornalista 
Depois que o programa Fantástico exibiu o caso do médico neurocirurgião americano Alexander Eben, (que em 10 de novembro de 2006 foi levado às pressas para o hospital e seus colegas disseram à família que ele teria poucas chances de se recuperar entrando em coma em seguida), criei coragem para revelar minha experiência pós-morte, também. O professor da Escola de Medicina de Havard, que estudou o cérebro durante 25 anos e tinha explicação neurológica para tudo e, sempre, justificando que a morte significava o fim da vida, se convenceu que a morte é, na verdade, apenas o começo e passou a acreditar em vida após a morte, porque teve visões de um paraíso e voltou convencido de que existe vida do outro lado, depois da vida, eu também estou convencido da mesma existência de vida após a morte. 

Com a coragem que Deus me deu e Alexander Eben confirmou, narrarei a seguir, o que nunca publiquei antes, em nenhum local, em detalhes, explicando a razão de eu ter escrito e pedido a publicação de minha crônica DEUS ME MANTÉM VIVO, porque temia que ninguém acreditasse em minhas palavras.

Fui internado de emergência com diagnóstico de “líquido em minha cabeça”, em maio de 2006 e fui submetido às pressas a duas cirurgias seguidas - uma para remover o líquido – que era um empiema cerebral - e, a segunda, para fazer correções de líquido que continuava sentindo dentro de minha cabeça, como fosse a água de um mar batendo nas pedras, sempre que virava para qualquer lado. Troquei de médico. Uma nova equipe médica, comandada pelo neurocirurgião Dr. Dante Luis Garcia Rivera, decidiu me internar para uma nova cirurgia de emergência, no dia 4/10/2006, desta vez acompanhado pelos neurocirurgiões Drs. Michael e Carreira. Eu já se estava infectado por duas bactérias hospitalares e, em vez de líquido branco, incolor e sem cheiro, como na primeira vez, o que saiu foi um líquido purulento, mal cheiroso, o gerando um diagnóstico equivocado de câncer em metástase. Minha esposa, ao receber o resultado do exame realizado em Botucatu-SP, tido como laboratório referência mundial em diagnóstico de casos de câncer comandado pelo Dr. Carlos Backer. A nova equipe médica que tentou sem sucesso remover durante sete horas, as bactérias que tinham construído uma espécie de casulo ocupando parte de meu cérebro, porque sangrava muito e os médicos desistiram. Entrei em coma profundo por sete dias, depois dessa cirurgia, perdi a memória, a voz e nada conseguia falar ou reconhecer qualquer pessoa. Só que durante todo esse tempo, com tubos ocupando os espaços apertados de minha garganta, lutando pela vida, ouvia vozes, barulhos, na verdade eu era apenas um ator do núcleo de novelas da Rede Globo, contratado para representar, com realidade, uma das vítimas do acidente do avião 727-800 SFP, que a Gol Transportes Aéreos, com destino a Manaus, colidiu com o avião Legassy 600 PR-GTD, ocorrido em 29 de setembro de 2006. Depois de sete dias, despertei e vi um aparelho de TV ligado 24 horas na UTI, que ainda repercutia notícias sobre o acidente, mas sem qualquer outro tipo de referência que me orientasse e passei a ver e ler nas paredes brancas da UTI, para qualquer lado que olhasse as letras “SJS” que as interpretei como sendo o significado da palavra “Só Jesus Salva”. Minha esposa Yara, nada conseguia ver ou ler. Eu estava ocupando uma das UTIs do Hospital Santa Júlia, em Manaus, um dos melhores. Depois de sair do coma, ainda permaneci por uns 30 dias como um zumbi sem memória, não reconhecendo ninguém que me visitasse, só olhando fixo para um teto branco e com dificuldades na fala, gaguejando muito. Perguntei à minha esposa: “que dia é hoje”? Depois, lhe questionei: “quantos dias fiquei em coma?”. Não acreditando que haviam se passado sete dias, perguntei novamente “que dia é hoje” com muita dificuldade e dores na garganta porque permaneci com tubos e sendo alimentado por sondas e fiquei convencido do que me relataram. 

Como “ator de novelas da Globo”, me via e me sentia sendo transportado de um lugar para o outro, depois, de avião até o local do acidente no Estado do Pará, já todo maquiado e pronto para representar o papel de um dos acidentados que teriam supostamente sobrevivido ao acidente. Mas como? Não houve qualquer sobrevivente! Também ouvia barulho de macas de outros atores que teriam sido contratados como eu, se movendo de um local para o outro pelos apertados corredores de onde nos encontrávamos no set de filmagens. Isso tudo teria sido um delírio, sonho, pesadelo ou apenas uma indireta associação ao meu desejo de ter sido ator de teatro na adolescência, interrompido em meu primeiro trabalho no ensaio do texto do dramaturgo Ariano Suassuna, - “ O Alto da Compadecida”? 

Na peça, eu interpretaria o personagem “João Grilo”, como integrante da “trupe” de teatro de Álvaro Braga, juntamente com os atores Washington Alves, Carlos Garcia, Carlos Aguiar, Ednelza Saado, Mário Jorge Corrêa, comandados pelo dramaturgo amazonense Álvaro Braga. Muitos outros atores que dividiriam o palco comigo, também se dividiam entre o trabalho para ganhar dinheiro e o sonho de serem atores amadores. Alguns conseguiram e prosseguiram na carreira; outros, como eu, ficaram no sonho, apenas. Talvez tenha sido até melhor porque me tornei um cronista, depois de tentar ser poeta, impedido que fui pela ditadura do Governo Militar que deu o golpe no Brasil e implantou no país a partir de 1964, que censurava quase todas minhas poesias do livro de estréia (DES)Construção, em 1978, com 18 anos apenas. 

Em 2008, quando novamente me internei e fui submetido a décima primeira intervenção cirúrgica, desde 2006, me senti nervoso, agitado, preocupado e comecei a me despedir dos amigos, porque pensei que fosse morrer na sala de cirurgia que ocorreria no dia seguinte. Pedi ao meu cunhado, pastor evangélico R. Rafael de Queiroz Neto, que fosse ao hospital para rezar em minha cabeça. Ele rezou e eu tive uma noite tranquila e até sonhei, mas não lembro mais sobre qual o motivo de meu sonho, sei que era tranquilo, bom, como se Deus estivesse segurando em minha mão. No dia seguinte, ainda nervoso e agitado, fui levado à sala cirúrgica por volta das 19 horas e, enquanto ouvia vozes do médico e do anestesista conversando, fui anestesiado. Horas depois, ouvi barulho de maca nos corredores e vozes de novo. Em seguida, passei a ver uma luz branca muito forte em meu rosto. A forte luz estava me seguindo e me cegando não sendo possível ver os rostos das pessoas vestidas de branco como se fossem médicos – ou anjos de luz, quem sabe? – Conversavam entre eles enquanto me aplicavam choques no coração, com desfibrilador e a cada choque eu pulava na maca, mas a luz branca seguia meu olhar para qualquer lado que tentasse virar. Depois, durante minha recuperação na UTI perguntei aos médicos sobre minha visão e se eu tinha recebido choques. Todos negaram. Em uma visita diária de meu médico neurologista, Dr. Dante Luis Garcia Rivera, perguntei novamente e me respondeu que tinha sido a melhor cirurgia que ele já tinha feito em meu cérebro e atribuiu ao nervosismo que senti ao entrar na sala cirúrgica, minha visão. É eu estava muito nervoso mesmo! 

Durante a visita que recebi de meu cunhado, o pastor protestante ao hospital, os dois se encontraram. Quando apresentei meu cunhado Rafael de Queiroz Neto ao Dr. Dante os dois conversaram longamente. O Dr. Dante contou casos pessoais seus sobre o que havia lhe contado e outros casos neurológicos de pessoas que, como eu, também permaneciam em coma por dias e tiveram visões de luzes brancas e pessoas de branco os socorrendo-as, como eu também tive. Eu ouvia tudo e, depois da conversa do médico e meu cunhado, usei meu “vermelinho” da marca Toshiba e, dentro do hospital, escrevi a crônica “DEUS ME MANTÉM VIVO”. 

quarta-feira, 27 de março de 2013

APARTAMENTOS QUE A DILMA FINANCIA PROS POBRES


LULA FALA SOBRE EDUARDO CAMPOS,MARINA, AÉCIO E SERRA...

Valor Econômico: Seu governo viabilizou projetos essenciais para o rumo que a economia pernambucana tomou, como o polo petroquímico e a fábrica da Fiat. A pré-candidatura Eduardo Campos, que agrega adversários fidagais de seu governo, como Jarbas Vasconcelos e Roberto Freire, e anima até José Serra, é uma traição?
Lula: Não. Minha relação de amizade com Eduardo Campos e com a família dele, que passa pela mãe, pelo avô e pelos filhos, é inabalável, independentemente de qualquer problema eleitoral. Eu não misturo minha relação de amizade com as divergências políticas. Segundo, acho muito cedo pra falar da candidatura Eduardo. Ele é um jovem de 40 e poucos anos. Termina seu mandato no governo de Pernambuco muito bem avaliado. Me parece que não tem vontade de ser senador da República nem deputado. O que é que ele vai ser? Possivelmente esteja pensando em ser candidato para ocupar espaço na política brasileira, tão necessitada de novas lideranças. Se tirar o Eduardo, tem a Marina que não tem nem partido político, tem o Aécio que me parece com mais dificuldades de decolar. Então é normal que ele se apresente e viaje pelo Brasil e debata. Ainda pretendo conversar com ele. A Dilma já conversou e mantém uma boa relação com ele.


Valor: O Fernando Henrique teve como candidato um ministro e o senhor também. O senhor acha que ainda é possível demover Eduardo Campos com a proposta de que ele se torne um ministro importante no governo Dilma e depois seu candidato? É possível se comprometer com quatro anos de antecedência?
Lula: Somente Dilma é quem pode dizer isso. Não tenho procuração nem do Rui Falcão [presidente do PT] nem da Dilma para negociar qualquer coisa. Vou manter minha relação de amizade com Eduardo Campos e minha relação política com ele. Até agora não tem nada que me faça enxergá-lo de maneira diferente da que enxergava um ano atrás. Se ele for candidato vamos ter que saber como tratar essa candidatura. O Brasil comporta tantos candidatos. Já tive o PSB fazendo campanha contra mim. O Garotinho foi candidato contra mim. O Ciro também. E nem por isso tive qualquer problema de amizade com eles. Candidaturas como a do Eduardo e da Marina só engrandecem o processo democrático brasileiro. O que é importante é que não estou vendo ninguém de direita na disputa.
Valor: Já que o senhor tem uma relação tão forte de amizade com ele, vai pedir para Eduardo Campos não se candidatar?
Lula: Não faz parte da minha índole pedir para as pessoas não se candidatarem porque pediram muito para eu não ser. Se eu não fosse candidato eu não teria ganho. Precisei perder três eleições para virar presidente. Eu não pedirei para não ser candidato nem para ele nem para ninguém. A Marina conviveu comigo 30 anos no PT, foi minha ministra o tempo que ela quis, saiu porque quis e várias pessoas pediram para eu falar com ela para não ser candidata e eu disse: "Não falo". Acho bom para a democracia. E precisamos de mais lideranças. O que acho grave é que os tucanos estão sem liderança. Acho que Serra se desgastou. Poderia não ter sido candidato em 2012. Eu avisei: não seja candidato a prefeito que não vai dar certo. Poderia estar preservado para mais uma. Mas Serra quer ser candidato a tudo, até síndico do prédio acho que ele está concorrendo agora. E o Aécio não tem a performance que as pessoas esperavam dele.
Valor: Quem é o adversário mais difícil da presidente: Aécio, Marina ou Eduardo?
Lula: Não tem adversário fácil. O que acho é que Dilma vai chegar na eleição muito confortável. Se a gente trabalhar com seriedade, humildade e respeitando nossos adversários e a economia estiver bem, com a inflação controlada e o emprego crescendo, acho que certamente a Dilma tem ampla chance de ganhar no primeiro turno.
Valor: Como vai ser sua atuação na campanha de 2014? Vai atuar mais nos bastidores, na montagem das alianças, ou vai subir em palanque em todos os Estados?
Lula: Eu quero palanque.
Valor: Vai subir em Pernambuco e pedir votos para Dilma?
Lula: Vou. Vou lá, vou em Garanhuns, vou no Rio, São Paulo, na Paraíba, em Roraima...

VIOLÊNCIA AFLIGE ÁREAS RICAS E POBRES DE SÃO PAULO

Thiago Herdy
Nas áreas mais ricas da cidade, arrastões de criminosos em prédios residenciais se repetem e são um tormento para as classes média e alta. Na periferia, a concentração de homicídios se mantém e ganha novos contornos com a confirmação do envolvimento de policiais em alguns desses crimes, principalmente na Zona Sul.
Depois de se notabilizar como uma das melhores experiências de redução de homicídios e combate à criminalidade no país, São Paulo vive nova escalada do crime e pelo sétimo mês consecutivo computa alta de assassinatos, na comparação com períodos semelhantes de 2012. Em fevereiro, o número de mortes cresceu 14%. A sequência de aumentos é a mais longa em três anos.

terça-feira, 26 de março de 2013

TURCO É TURCO

Crônica
Liége Farias é cronista Literária

Acho no canto da minha sala uma revista, e como sou devoradora de textos, peguei-a com um carinho enternecedor. Então, comecei a devorá-la, como devoraria Caetano a Leonardo di Caprio. Descubro que é uma revista local, fico feliz. Trata-se de uma publicação feita em Manaus, porém ousada na proposta de ter o mundo como conteúdo. A cultura, na sua mais ampla compreensão humana, é a pauta permanente desta revista. Entusiasmo-me ao extremo, quando dou de cara com uma matéria que mexe com minhas emoções. O título: "Oriente a céu aberto." Fala-se do monumental país que é a Turquia. A jornalista Ana Cláudia Leocádio, hoje residente na Turquia, fala da sua experiência de viver naquele país. Em 2010, seu marido foi transferido para Ankara, que é a capital da Turquia enquanto todos pensam ser Istambul. Ela, também, sempre pensou que fosse Istambul. Mora há 1 ano em Ankara, localizada na Anatólia Central, a 40 quilômetros de Istambul, a antiga capital nascida no lado europeu, cidade que por séculos foi Constantinopla, a capital dos Impérios Romano e Bizantino, uma segunda Roma, como dizem os historiadores.
A Turquia tem 80 milhões de habitantes, onde 99% da população são muçulmanos. Istambul segue como a maior cidade, com cerca de 14 milhões de pessoas vivendo em um verdadeiro museu a céu aberto. A pacata Ankara, tem aproximadamente 5 milhões de pessoas. Ana Cláudia, começa a entender, o lugar onde habita. Diz que, turco é turco, não é árabe, libanês ou sírio, assim como iraniano é persa e egípcio é egípcio. Violência urbana é algo raro por lá. Pode-se andar tranquilamente altas horas pela cidade, que um bandido não vai te importunar. Ana Cláudia Leocádio, sentiu isso também no Egito, Irã e Líbano. Não entendo o porquê, de tanta violência no Brasil, alguém atreve-se a tirar minhas dúvidas?

JUSTIÇA MANDA NICOLAU DE VOLTA PRA CADEIA


Ricardo Chapola,
O Tribunal Regional Federal da 3.ª região (TRF-3) cassou a decisão que mantinha em prisão domiciliar o ex-juiz Nicolau dos Santos Neto (foto abaixo), de 84 anos. A 5.ª turma do TRF-3 determinou a volta imediata do ex-magistrado ao cárcere. Nicolau cumpria a prisão em sua casa, no bairro do Morumbi, em São Paulo, desde 2007.
Segundo o advogado do ex-juiz, Francisco de Assis Pereira, Nicolau seria conduzido no início da noite desta segunda-feira para a Superintendência da Polícia Federal (PF) na capital paulista. A defesa do ex-juiz informou que recorrerá da decisão do TRF-3. Ex-presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 2.ª Região, na capital paulista, o ex-juiz foi condenado a 26 anos de prisão em maio de 2006 pelos crimes de peculato, estelionato e corrupção passiva.
Adicionar legenda


segunda-feira, 25 de março de 2013

PENSAMENTO DE SEGUNDA-FEIRA

No fim do seu segundo governo, Lula prometeu que ensinaria a Fernando Henrique Cardoso como um ex-presidente deveria se comportar.
Fernando Henrique está esperando até hoje. A não ser que a aula esteja em curso e ele não tenha se dado conta.
( Ricardo Noblat, ao se referir às viagens de lula pagas por empreiteiras pelo  mundo)

ENSINO RELIGIOSO É OBRIGATÓRIO EM 49% DE ESCOLAS PÚBLICAS

Lauro Neto,

Na maioria das escolas públicas brasileiras, para passar de ano, os alunos têm que rezar. Literalmente. Levantamento feito pelo portal Qedu.org.br a partir de dados do questionário da Prova Brasil 2011, do Ministério da Educação, mostra que em 51% dos colégios há o costume de se fazer orações ou cantar músicas religiosas.

Apesar de contrariar a Lei de Diretrizes e Bases (LDB), segundo a qual o ensino religioso é facultativo, 49% dos diretores entrevistados admitiram que a presença nas aulas dessa disciplina é obrigatória. Para completar, em 79% das escolas não há atividades alternativas para estudantes que não queiram assistir às aulas.

domingo, 24 de março de 2013

PENSAMENTO DE DOMINGO


Quando chegar a hora de aproveitarmos toda a experiência que acumulamos com o tempo, tudo que a vida nos ensinou através dos anos, toda a sabedoria, toda a filosofia, não teremos mais a energia.Será um pouco como amontoar tanta coisa no lombo de um burro que ele não consegue sair do lugar. ( Luís Verissimo)

"GUARDADORES" DE CARROS SE APOSSAM DAS RUAS DE MANAUS E AMEAÇAM AOS QUE QUEREM ESTACIONAR

Manaus é uma metrópole e como tal tem todos os problemas de cidade grande. Aliado a essa realidade, o  inchaço da capital, tornou-se algo real e insustentável, daí surgirem novos  problemas que atormentam o dia a dia do manauara, a exemplo de onde e como estacionar nas principais ruas do centro. Na rua 10 de Julho, apenas para citar como referência, "guardadores" de carros disputam a tapas a vagas existentes, mesmo às que não lhe pertencem, e demarcam os lugares que motoristas poderiam estacionar, mas não podem, porque cones são colocados pelos flanelinhas  numa guerra sem trégua, sem que ninguém tome providência. O interior e a lateral da Santa Casa de Misericórdia foram loteados por uma tal de peruano, que se diz "dono" do "estacionamento",mas na verdade, segundo a versão de um vendedor de refrigerantes do local, ele invadiu a área da Santa Casa, bem como o outro lado da rua 10 de Julho, onde funcionava a antiga Eletronorte, e quem pretende estacionar por lá terá que desembolsar R$ 2,50 a hora, do contrário terá o carro riscado, ou pneus  furados, caso o motorista se recuse a pagar aos flanelinhas. As pessoas  que têm veículos fazem um apelo a Manaustrans para coibir esse abuso, pois segundo eles, as ruas são públicas e comum à todos. 
Foto: Marcelino Ribeiro

Foto: Marcelino Ribeiro

Foto: Marcelino Ribeiro

Foto; Marcelino Ribeiro

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO AMAZONAS FAZ PARCERIA COM ENTIDADES A FIM DE COLETAR SANGUE PARA POPULAÇÃO

A Assembleia Legislativa do Amazonas, em parceria com a  Fundação Hospitalar de Hematologia do Amazonas (Hemoam), e Igreja Adventista do Sétimo Dia realizaram,  sábado, dia 23 de março, às 10h, no auditório Ruy Araújo,(ALE) na av. Mário Ypiranga Monteiro, 3.950, Parque Dez, zona centro-sul), o lançamento da campanha “Vida por Vidas” cujo  objetivo é mobilizar a sociedade para a doação de sangue e medula óssea. O evento foi  contou  com as presenças do deputado Josué Neto, presidente da ALE, do diretor do Hemoam, Nelson Fraiji, e do diretor de saúde da ALE, médico Arnoldo Nazaré, dentre outros convidados. Segundo os organizadores do evento, o projeto existe há dez anos na América Latina e está presente há sete anos no Estado do Amazonas, em parceria com o Hemoam, a fim de incentivar à doação de sangue à população. Na ocasião o médico Nelson Fraiji estabeleceu algumas metas para que se possa doar sangue, enumerando algumas regras de coleta. Ele disse que no Amazonas serão coletadas em torno de duas mil bolsas de sangue até o mês de junho 2013, período final da campanha. Este ano, assegurou Fraiji, a campanha “Vida por Vidas” vai também mobilizar a população para a doação de medula óssea, cuja meta é coletar 500 amostras de sangue para testes. As campanhas do Hemoam serão promovidas com o apoio da Associação Central do Amazonas (Aceam) e Associação Amazonas Roraima (Amar).

GESTOS SIMPLES DE FRANCISCO MELHORAM IMAGEM DA IGREJA


Para marqueteiros políticos, Pontífice conseguiu afastar notícias negativas
Sérgio Roxo
Um sapato velho, um telefonema para o jornaleiro e uma viagem de ônibus. Os pequenos gestos dos primeiros dias do papado de Francisco dominaram o noticiário sobre o Vaticano e deixaram em segundo plano as denúncias de corrupção e pedofilia.
Na avaliação de especialistas em marketing político, o Pontífice argentino, com atitudes cuidadosamente estudadas, conseguiu mudar, pelo menos neste primeiro momento, a imagem da Igreja Católica.

— A Igreja estava sendo julgada só pelos defeitos e não pelas qualidades. Agora, começa uma discussão em torno das qualidades, com a possibilidade de se voltar para os pobres — avalia o publicitário Paulo de Tarso Santos, responsável pelo marketing das campanhas a presidente de Luiz Inácio Lula da Silva em 1989 e 1994 e de Marina Silva em 2010.
Santos acredita que Jorge Mario Bergoglio, o novo Papa, “tem uma vocação muito grande para o marketing pessoal”.
— A partir da eleição dele, a Igreja passou a ser vista de uma forma bastante diferente. O marketing da simplicidade é muito poderoso. As pessoas se identificam muito. Ninguém é contra a simplicidade.
Na avaliação do antropólogo e publicitário Renato Pereira, marqueteiro das campanhas do governador Sérgio Cabral em 2006 e 2010 e do prefeito Eduardo Paes em 2008 e 2012, o Pontífice argentino tem “consciência de que é importante agir dessa maneira” num período em que a Igreja atravessa uma crise com escândalos sexuais e financeiros, que atingem dois de seus principais pilares: a ética e a moral.
— Para ser relevante, qualquer instituição depende hoje de credibilidade. Mas numa instituição religiosa, que fala da fé, tudo se baseia na crença e na credibilidade.

sábado, 23 de março de 2013

FRANCISCO E BENTO XVI- ENCONTRO HISTÓRICO


Encontro acontece na residência de verão da Santa Fé, em Castelgandolfo. “Somos irmãos”, teria dito o Papa Francisco a Bento XVI, ao convidá-lo para orar ao seu lado. Os dois pontífices conversaram por 45 minutos na biblioteca do palácio

O Globo
A multidão começou a se reunir na praça central de Castelgandolfo ainda na manhã deste sábado (23) para acompanhar um momento histórico: dois papas se encontrariam para um almoço e, provavelmente, para discutir o futuro da Igreja Católica.

Papa Francisco levantou voo às 12h (horário local) deste sábado no helicóptero rumo à residência papal de verão em Alban Hills, ao sul ​​de Roma, onde o Papa emérito Bento XVI vive desde a renúncia, em 28 de fevereiro.
Dez minutos depois, Francisco chegou a Castelgandolfo, onde o Papa emérito o aguardava no heliporto. Ambos, vestidos de batina branca, se abraçaram calorosamente no local.
O padre Federico Lombardi, porta-voz do Vaticano, disse que, ao chegarem à capela de Castelgandolfo, o Papa Francisco fez questão se sentar-se no mesmo banco de Bento XVI para orar.
— Somos irmãos — teria dito Francisco, segundo Lombardi.

AS RAZÕES DO FAVORITISMO DA DILMA EM 2014

Pesquisa aponta que a presidente tem 58% das intenções de voto. Marina Silva marca 16%, o tucano Aécio Neves, 10%, e Eduardo Campos, 6%
Otávio Cabral, VEJA ONLINE
A presidente Dilma Rousseff teve algumas más notícias na economia nas últimas semanas. O PIB cresceu apenas 0,9%, a inflação chegou perto do topo da meta, a gasolina aumentou e os portos não conseguiram escoar a safra recorde de grãos. Esses dados deram esperanças à oposição de que a popularidade da presidente seria afetada, o que ameaçaria sua reeleição.
A pesquisa do Datafolha divulgada nesta sexta-feira, porém, mostrou que a análise dos oposicionistas estava errada. Pelo menos por enquanto, ela é franca favorita a ficar mais quatro anos no Palácio do Planalto. No cenário mais provável, Dilma tem 58% das intenções de voto, o que lhe daria uma tranquila vitória já no primeiro turno. Atrás dela, aparecem a ex-senadora Marina Silva (que ainda tenta viabilizar um partido para disputar as eleições), com 16%, o senador Aécio Neves (PSDB), com 10%, e o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, com 6%.

Foto: Roberto Stuckert
 Os dados adversos na macroeconomia não são sentidos pela maior parte da população, principalmente a nova classe média, que concentra o grosso do eleitorado. Para essa camada, que sustenta a popularidade de Dilma, é mais importante a redução dos preços dos produtos da cesta básica, a diminuição da tarifa de luz, a presença da presidente junto aos parentes das vítimas da tragédia de Santa Maria ou sua imagem na televisão ao lado papa Francisco.
“Os eleitores mais pobres que chegaram à classe média ainda conseguem pagar a prestação do carro, o plano de saúde e a mensalidade da escola particular do filho”, analisa um economista ligado ao PSDB. “Nesse cenário, é muito difícil derrotar a Dilma.”
Além da força de Dilma, o PSDB de Aécio também se preocupa com o crescimento de Eduardo Campos. O governador de Pernambuco, praticamente desconhecido fora de seu estado até o início do ano, resolveu testar a viabilidade de sua candidatura. Nas últimas três semanas, ele passou mais tempo em São Paulo, Rio e Brasília do que em Recife. Conseguiu, com essa primeira investida, chegar a 6% das intenções de voto –no limite da margem de erro, está em situação de empate técnico com os 10% de Aécio.
Não foi apenas intenção de voto que Campos tirou do tucano, mas também discurso. Com sua pregação de que “é possível fazer mais” e suas críticas ao inchaço e à lentidão do governo federal, o governador de Pernambuco é quem mais tem aparecido como contraponto a Dilma, embora ainda seja da base do governo. Aécio ainda não conseguiu achar seu espaço e o conteúdo de seus discursos, embora ensaie sua candidatura desde o início de 2011, quando trocou o governo de Minas Gerais pelo Senado.

STF MANDA ABRIR INQUÉRITO CONTRA EDUARDO BRAGA, LÍDER DO GOVERNO NO SENADO


Procuradores sustentam que, em compra de terreno em Manaus, o governo pagou mais de R$ 5 milhões por benfeitorias inexistentes
Jailton de Carvalho, O Globo
O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a abertura de inquérito para apurar o suposto envolvimento do senador Eduardo Braga (PMDB-AM), líder do governo no Senado, em desvio de dinheiro público na desapropriação de um terreno em Manaus destinado a construção de casas populares.
No início de 2003, três meses depois de comprar o terreno por R$ 400 mil, a empresa Columbia Engenharia repassou a área ao governo do Amazonas por R$ 13,1 milhões, o que indicaria uma valorização recorde de 3.100%. Mendes também determinou a quebra do sigilo bancário da empresa no período da transação.
O inquérito foi aberto para apurar formação de quadrilha, peculato e fraude em licitação. Mendes autorizou a investigação do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, e pela suprocuradora Cláudia Sampaio.
Segundo eles, mesmo sabendo da valorização extaordinária do terreno, Eduardo Braga endossou a desapropriação do terreno, conduzida à época pela Secretaria Estadual de Habitação. Os dois procuradores também sustentam também que, na compra do terreno, o governo pagou mais de R$ 5 milhões por benfeitorias inexistentes.
"Mesmo diante do valor extraordinário que seria despendido pela administração pública e evidente irregularidade no desembolso, o então governador Eduardo Braga editou decreto nº 23.418 de 20/05/2003, que declarou interesse social, para fins de desapropriação, o imóvel que especifica situado na cidade de Manaus, necessário a construção de casas populares", afirmam Gurgel e Cláudia Sampaio.
Mendes concordou que os indícios são suficientes e determinou abertura de inquérito contra Eduardo Braga e todos os servidores do governo e dirigentes da empresa que participaram da negociação

sexta-feira, 22 de março de 2013

AMIZADES VERDADEIRAS

Carlos Costa é jornalista
CRÔNICA
As verdadeiras amizades são como o vento: passam e deixam saudades, depois de terem lambido nosso rosto e nos oferecido um pouco de sua brisa fresca e fincado sua marca indolor em nosso peito! Chegam de onde menos esperamos, ocupam espaço na nossa mente e em nossos sentimentos!
As amizades verdadeiras e sinceras aparecem no momento em que mais se precisa delas e vêm sem aviso, sem serem anunciadas,  alojando-se para sempre em nossos corações,  ficando impossível e dolorido demais extirpá-las de nossas vidas.
As verdadeiras amizades não precisam de autorização para nos criticar quando erramos;  e as portas lhes estarão sempre abertas, escancaradas, para chegarem ou partirem.

As verdadeiras amizades não são colocadas em redomas de vidro para a admirarmos sozinha: elas têm que ser compartilhadas com outras pessoas também, desde que a queiram receber e tenham por ela caráter para tal!

As verdadeiras amizades não precisam de nada para nos fazer felizes. Basta aparecerem e já nos tornam felizes, e nossos corações disparam e nem sabemos justificar o porquê.

As amizades verdadeiras, enfim, são como o vento: nos acariciam o rosto e nós não as vemos porque, na maioria das vezes, elas são invisíveis aos nossos olhos e só a sentimos no coração e, quando a perdemos, por egoismo, ignorância, estupidez e ciúmes, nos faz falta!

As amizades não precisam pedir desculpas quando nos magoam porque as que são verdadeiras sempre reconhecem seus “equívocos” e se desculpam naturalmente.

Ao longo de minha vida, aprendi que a amizade sempre surge de lugares inesperadas, de pessoas que aprendemos a amar sem pedirmos permissão para fazê-lo. E, depois, sofremos quando elas se vão embora e não nos oferecem despedidas. As verdadeiras amizades não precisam de nada, nunca pedem nada e nos oferecem sempre mais do que a merecemos.



Amizades verdadeiras não só amizades: tornam-se confidentes em nossas dores, doenças, saúde, enfim, passam a ser um complemento de nosso próprio existir. Se você possuir uma amizade assim, conserve-a no lado esquerdo de seu peito porque é lá que deve ficar guardada e guarde a chave em local desconhecido até para você mesmo!

PENSAMENTO DA SEXTA-FEIRA


Ao se hospedar num hotel de luxo com toda a sua comitiva, dá para ver que Dilma não aprendeu nada com o papa franciscano.
Rubens Bueno (PPS-PR), sobre os gastos da comitiva da presidente para acompanhar a  posse do Papa em Roma   

PAPA FRANCISCO REZA NO MEIO DOS JARDINEIROS


Ao final de uma missa celebrada por ele, o papa Francisco orou em meios aos jardineiros oficiais do Vaticano. A foto foi divulgada pelo jornalista Giovanni Tridente em seu Twitter ).




A VITÓRIA DO JOSÉ ALDO EM LAS VEGAS

Liége Farias é cronista liuteráriua
Crônica
De repente, lá estava eu, outra vez em New York City. Pegando um invernaço de lascar o cano, saindo fumaça da boca a valer.Deslumbrante! Novamente naquele lugar borbulhante, sensual e cheio de glamour : Manhattan! Manhattan, Manhattan,você enfeitiçou meu pobre coração! Nosso animado grupinho chegou na terra do Central Park, no dia 29.01.2013. Amazônidas audaciosos, enfrentando mais um inverno nova-iorquino, inverno rigoroso e com fortes rajadas de vento. Bravo grupo, corajosos e impetuosos! Loucos por uma aventura, num lugar badalado e cheinho de charme. Manhattan, sempre apinhada de turistas ávidos das suas novidades, de novos points, desta vez, em alta o "Rock Hard Cafe".Lá, em plena Times Square, é o restaurante da moda, todos ali, com sorriso e satisfação, esperam a sua vez, com a senha na mão. Vale a pena, trata-se de NYC, o lugar mais badalado do mundo! Vale a pena, frequentar um ambiente com gente elegante e todos felizes como personagens de revistas do Walt Disney. Na noite de 02.02.2013, nosso quinteto saiu do Hotel para uma missão importante: assistir a luta do amazonense José Aldo.Noite muito fria mas o entusiasmo aquecia o nosso sangue. Todos orgulhosos do lutador José Aldo, um conterrâneo, um rapaz humilde do Bairro da Alvorada, um bairro pobre de Manaus. José Aldo e Malvino Salvador, são frutos deliciosos germinados na Terra de Ajuricaba. Encontramos um Pub, pelos arredores da Times Square, Celtic Pub. Bem inglês e aconchegante. Quando viajo, sinto anjos ao meu redor, sinto anjos cuidando de mim. Antes de chegarmos ao barzinho, senti flocos de neve no meu casaco negro. Gritei emocionada:- "Está nevando!" Adentramos o Celtic Pub, lotado e pedimos um bom vinho. Quando estou em NYC, parece que vivo momentos transcendentais, parece que levito, tudo é muito intenso! Lá pela segunda taça de vinho, recitei dois versos de Pessoa: "Sinto mais longe o passado, Sinto a saudade mais perto." Começou a luta cobiçada por nós, no telão do Celtic, em Las Vegas, apareceu o nosso caboquinho José Aldo. Nossa amiga Elisângela gritou, chamando a atenção de alguns frequentadores do local. O lutador amazonense, miúdo, e ao mesmo tempo, um gigante! Concentradíssimo e escorregadio! E o quinteto, na torcida! Pouco demorou e o José Aldo nocauteou o adversário. Vibramos e Elisângela gritou mais alto ainda. Pedimos outra garrafa de vinho, brindamos a vitória do nosso herói da selva, enquanto a neve caía lá fora. Noite inesquecível, Manhattan tem a sublime capacidade de deixar carimbado dentro de mim, momentos inesquecíveis!

quinta-feira, 21 de março de 2013

GRUPO DE CACHOEIRA É CONDENADO A PERDER 100 MILHÕES EM BENS


O bicheiro Carlinhos Cachoeira durante sessão da CPI do Congresso que investiga relações do contraventor com políticos  (Foto: Globonews/Reprodução)
G1 GO

Multa é uma parcela da dívida da quadrilha com a sociedade, diz juiz federal.
Decisão inclui propriedades de setenciados e 'laranjas'; cabe recurso.

A Justiça Federal decretou a perda de mais de R$ 100 milhões em bens adquiridos pelo grupo do contraventor Carlos Augusto Ramos Cachoeira, o Carlinhos Cachoeira, no esquema de exploração de jogos ilegais e corrupção em Goiás e no Distrito Federal. Segundo a decisão tomada em março pelo juiz federal substituto Daniel Guerra Alves, o valor é uma parcela da dívida que o grupo teria com a sociedade, pois o cálculo total do prejuízo ainda deverá ser feito.
O juiz também fixou multa de R$ 156 mil em favor da União, como reparação proporcional ao dano causado pela investida policial na Operação Monte Carlo. O valor da multa considerou o reforço policial e o aumento de custos com diárias de Os bens estão em nome dos sentenciados: Idalberto Matias, Lenine Araújo de Souza, Raimundo Washington Souza Queiroga, José Olímpio de Queiroga e Carlos Augusto Ramos Cachoeira. Há também propriedades registradas no nome de supostos “laranjas” e de empresas.